Google+
 

Anguilla eleita a melhor ilha do Caribe

Todo o Caribe é paradisíaco, então imagina o quão difícil deve ser escolher uma das ilhas do local como a melhor de todas. Uma popular revista americana de turismo fez esse levantamento com os viajantes de plantão e Anguilla (ATB) acabou sendo a premiada na categoria “Melhor Ilha no Caribe, Bermuda & Bahamas” no Travel + Leisure World´s Best Awards 2017.

Cap-Juluca-Anguilla

Fora isso, duas propriedades de Anguilla estão no “Top 25 Resort Hotels no Caribe, Bermuda e Bahamas”. Se você quer mais motivos para visitar o local, saiba que o destino é ideal para quem busca tranquilidade e anonimato, tanto que a ilha recebe muitas celebridades. Já passaram por lá, por exemplo, famosos como Justin Bieber, Gisele Bundchen, Shia Lebouf, Robert De Niro, Paris Hilton, Beyoncé & Jay Z e Leonardo di Caprio.

A melhor maneira de chegar ao local é seguir de avião até  St. Maarten. Vale ressaltar que você deve desembarcar no lado holandês da ilha, em St. Maarten, onde fica o aeroporto internacional, pois o lado francês da ilha tem um nome parecido, St. Martin, mas não tem um aeroporto de grande porte. Depois, deve pegar um barquinho até o destino caribenho. Esse trajeto demora cerca de 20 minutos. Os voos saem das principais capitais do Brasil com rotas via Panamá ou Miami.

Shoal Bay East

As opções de hospedagem são bem variadas, contando com os luxuosos hotéis cinco estrelas e hotéis boutique e hospedagens mais simples, como uma rede de pousadas que são pequenas, mas têm bom preço e ficam de frente para a praia.

Caso busque agito, é melhor escolher outro destino, já que a ilha exala tranquilidade. Os turistas mais aventureiros vão adorar as opções de esportes aquáticos, como kitesurf, windsurfe, caiaque, stand-up paddle, mergulho e snorkel, inclusive há um parque com essa temática por lá. Para repor as energias, você pode se deliciar com a boa gastronomia do local, recheada de frutos do mar. Ah, e não deixe de experimentar um drinque quando estiver curtindo a praia.

4go40h8uzh6hh0lhxxer5wilw

Outro ponto positivo é que o clima em Anguilla é sempre bom, ficando na média de 28 a 32 graus durante o ano todo. A água também possui temperatura agradável, tanto que dá nadar até de noite sem ficar com frio. A baixa temporada acontece entre maio e agosto, é justamente nesse período que os brasileiros podem encontrar preços mais atrativos.

Fonte: Ig

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Prada inaugura centro cultural na China

A grife italiana Prada acaba de inaugurar um centro cultural em Xangai, China, batizado de Prada Rong Zhai. O espaço, que abrigará eventos e exposições, é uma antiga mansão do início do século XX que foi restaurada pelo arquiteto Roberto Baciocchi.

PradaRongZhai_ph-Osio_X9A3839-HDR

Para marcar o término dos seis anos de reformas, a grife realizou, no último dia 12, uma reapresentação de seu último desfile, que ocorreu originalmente no mês de março deste ano, em Milão. A primeira exposição aberta ao público mostra todo o processo de restauração da mansão e segue em cartaz só até 12 de novembro.

Prada-Rong-Zhai

Para a grife, que já possui três unidades da Fondazione Prada na Itália (2 em Milão e 1 em Veneza), o novo centro é uma forma de reafirmar o compromisso de promover a arte e arquitetura.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O melhor da América Latina

Maido recebeu em outubro o título de melhor restaurante da América Latina durante a cerimônia do Latin America’s 50 Best Restaurants 2017, realizada em Bogotá, na Colômbia. Em segundo lugar ficou o Central. Ambas as casas estão sediadas em Lima.

10856486_870334369654047_5211063796978743287_o

Em terceiro lugar ficou o brasileiro D.O.M, de Alex Atala, que vem ocupando a mesma posição há três anos. A surpresa para o Brasil foi a ascenção d’A Casa do Porco, que subiu 16 posições e ficou em 8º lugar. A casa do chef Jefferson Rueda tem sido um marco importante para a revitalização do Centro de São Paulo. O restaurante Maní, da chef Helena Rizzo, ficou com 9º lugar, caindo uma posição.

A lista foi feita por um júri composto por 252 chefs, jornalistas, proprietários de restaurantes e foodies do México, América Central e América do Sul. Cada jurado votou em dez estabelecimentos diferentes que precisaram ser visitados ao menos uma vez nos últimos 18 meses.

Comandado pelo Chef Mitsuharu Tsumura, o vencedor Maido é especializado em comida nikkei, culinária que faz a fusão de ingredientes japoneses e peruanos. Entre as receitas servidas no restaurante, destacam-se o choripan de peixe e polvo e o “asado de tira Nitsuke” com arroz chaufa branco, carne curada, gengibre em conserva e alho crocante.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Para sonhar com os melhores resorts do mundo

A publicação especializada em turismo Condé Nast Traveler divulgou recentemente sua tradicional lista dos 50 melhores resorts do mundo, com os eleitos de 2017. A seleção é resultado de uma votação feita com os leitores no famoso Readers’ Choice Awards. Confira os 10 primeiros colocados.

1- Naladhu Private Island Maldives – Atol de Malé do Sul, Maldivas

melhores-resorts-do-mundo-01

2- Sanctuary Olonana - Masai Mara, Quênia

melhores-resorts-do-mundo-02

3- Bahia Vik José Ignacio & Playa Vik - José Ignacio, Uruguai

melhores-resorts-do-mundo-03

4- Niyama Private Islands - Atoll Dhaalu, Maldivas

melhores-resorts-do-mundo-04

5- Jumby Bay Island - Antígua

melhores-resorts-do-mundo-05

6- andBeyond Matetsi River Lodge - Matetsi Private Game Reserve, Zimbábue

melhores-resorts-do-mundo-06

7- The Lodge & Spa at Brush Creek Ranch – Saratoga, Wyoming (EUA)

melhores-resorts-do-mundo-07

8- L’Horizon Resort & Spa – Palm Springs, Califórnia (EUA)

melhores-resorts-do-mundo-08

9- Anantara Hua Hin Resort – Tailândia

melhores-resorts-do-mundo-09

 

10- Cuixmala - Costalegre, México

melhores-resorts-do-mundo-10

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Natal em Nova York

Passar o Natal em Nova York é como estar em um típico filme de Hollywood. Muita, mas muita decoração tradicional, frio, neve, “Jingle Bells” nos alto-falantes e aquele espírito de alegria tipicamente americano. Mas fica a dúvida: o que fazer em Nova York no Natal?

Primeiro de tudo, um lembrete: em dezembro faz MUITO frio em Nova York. Quem não estiver acostumado a temperaturas variando entre -2 e 6° C – e que pode incluir neve – é bom caprichar no casacão, luvas, gorro, cachecol e tudo mais.

Especialmente em uma cidade como Nova York no Natal, onde grande parte da diversão é andar pelas ruas e admirar o quanto os moradores e o comércio se dedicam ao espírito natalino. Lojas, restaurantes, monumentos, parques, casas e até meios de transporte ganham decorações festivas com milhões de luzinhas. É o típico clima mágico que contagia crianças e adultos de todas as idades, origens ou crenças religiosas e toma conta de Nova York em dezembro.

Pista-Patinacao-Rockefeller-Center

No centro de toda a festa está o Rockefeller Center. Se durante todo o ano, ele já é um dos mais famosos e visitados pontos de Nova York, no Natal ele vira a atração principal. Graças, sobretudo, à gigante árvore de Natal montada em frente ao prédio – com seus mais de 25 metros de altura e iluminação de 30.000 luzes LED – e a pista de patinação no gelo, uma das mais populares da cidade.

Outra atração tipicamente natalina em Nova York é o espetáculo “Radio City Christmas Spectacular”, estrelado pelas Rockettes. Apresentado no emblemático Radio City Music Hall, o show reúne 140 artistas, entre músicos, atores e dançarinos, em uma tradição que remonta desde 1933. No palco, estão o Papai Noel, o Quebra-Nozes, a história da Natividade e tudo que se pode esperar do tema natalino.

Radio City and Red Holiday Ornament Balls

Mesmo aqueles que têm uma tendência para Grinch durante o Natal, não terão como não se encantar com as belas decorações espalhadas pela cidade. A começar pelas grandes lojas de departamento, que preparam-se o ano todo para enfeitar suas vitrines para o Natal, com investimentos milionários e resultados impecáveis.

Inspirados na tradição dos mercados de Natal na Europa, Nova York tem diversas opções bacanas das feiras de Natal em parques e locações famosas da cidade. São boas dicas para comprar lembrancinhas e presentes de última hora, além de provar delícias locais e curtir a decoração.

Bryant-Park-Holiday-Shops-Mercado-de-Natal-em-Nova-York

Claro que todo visitante que faz uma viagem para Nova York nessa época do ano adoraria ter uma refeição tipicamente natalina em um local pra lá de especial. Portanto, a palavra de ordem é: preparação. Se a Big Apple já é lotada durante todo e qualquer dia do ano, imagina na véspera ou no Dia de Natal. Assim, não deve-se pensar duas vezes e reservar seu restaurante preferido.

Fazer compras em Nova York, especialmente na época de Natal, pode significar duas coisas: encontrar bons descontos e pechinchas, e também enfrentar verdadeiras multidões. Se o último não for um problema, vale mesmo desbravar as grandes lojas de departamentos e outlets espalhados pela cidade, que capricham nas promoções, que começam na Black Friday de novembro/dezembro e estendem-se até depois do Natal.

Macys-loja-cheia-no-Natal-em-Nova-York

Fonte: Momondo

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Atração sobre ciência e futuro em Miami

Uma área de 23 mil m² dedicada a ciência – mas não de um jeito cansativo ou teórico demais. Inaugurado em maio, o Frost Museum of Science é um museu que trata o passado, presente e o futuro da temática de um jeito interativo, e onde a arquitetura contribui para uma experiência completa.

arquitetura-frost-museum_13

Localizado em uma área com com muita natureza ao redor, nada mais apropriado do que um museu que proporcionasse uma interação com o entorno. Sendo assim, sua arquitetura é constituída por quatro edifícios que se relacionam sob um átrio, incentivando a caminhada entre os anexos.

Logo na entrada, um dos destaques é o planetário. Com hora marcada, os visitantes entram numa espécie de teatro onde uma projeção 3D e 8K surge no teto abaulado, contando histórias sobre o surgimento do planeta, dos oceanos e todas as reações físico-químicas que nos rodeiam.

frost_planetarium_interior_photo_by_ra-haus_3

Elevadores coloridos se destacam ao centro do espaço, mas há escadas que conduzem aos outros cinco andares de atrações. Cartazes motivacionais percorrem os corrimãos, numa tentativa de reduzir o consumo de energia e o sedentarismo, outro dilema que a humanidade deve enfrentar no futuro. Coleta de água da chuva, águas cinzas e uma fazenda solar no teto também foram algumas das preocupações com a sustentabilidade.

Subindo um lance de escadas, o edifício se divide em duas partes: as asas norte e oeste, que trazem diversas exposições, muitas interativas, que abordam de algoritmos a história do voo, desde os dinossauros até a chegada à lua. A torre também contempla uma estação meteorológica, um terraço de painéis solares fotovoltaicos e um espaço para aulas.

feathers_to_the_stars__frost_science_photo_by_ra-haus_4

Mas a parte que mais encanta, principalmente às crianças, é o edifício todo dedicado a vida marinha. São três andares de aquários: começando pelo nível “Vista”, com corais e arraias que podem ser tocadas, passando pelo “Mergulho” e “Fundo”, onde há aquários gigantescos, cuja arquitetura destaca a ideia de sermos pequenos em relação a imensidão do mar. Ali, os visitantes têm a sensação de estar nadando junto com peixes e, claro, com os gigantescos tubarões. Um prato cheio para crianças e adultos curiosos!

arquitetura-frost-museum_08

Fonte: Casa Vogue

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O melhor pub irlandês fica em… Roma!

O melhor pub irlandês do mundo não está na Irlanda, mas sim na Itália. O pub “Scholars Lounge”, localizado em Roma, foi escolhido pelo “Irish Pubs Global Awards” como o melhor estabelecimento do planeta.

A premiação é considerada o “Oscar” dos pubs irlandeses, que pela primeira vez teve como vencedor um bar localizado na Itália. Cerca de 16 mil pubs participaram do concurso.

menu-top

A escolha do melhor pub irlandês do mundo é realizada através de uma série de critérios. Entre alguns deles, o bar deve ter uma boa comida, um ambiente agradável e um rico cardápio de destilados.

Fundado em 2005, o “Scholars Lounge” fica no coração de Roma e possui muitas comidas típicas irlandesas, além de conter mais de 250 opções de whiskys. O estabelecimento também já recebeu premiações em competições de bares da Europa.

Fonte: Exame

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A HOYA faz 28 anos!

HOYA_28anos

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Muita música no Sir Adam Hotel

A rede hoteleira Sir cria um personagem para cada hotel que lança. Amsterdam ganhou o Adam, provavelmente um produtor musical que decidiu fincar suas raízes na cidade. O Sir Adam Hotel personifica não somente um produtor musical, mas um produtor festeiro de alma, que faz questão de ficar cercado de objetos que não o deixam esquecer sua profissão.

adam-tower_adam-sir-hotel-1024x800

O hotel fica no norte da cidade, Amsterdaam Noord, um antigo estaleiro transformado num centro cultural. Para chegar lá, uma balsa gratuita sai dos fundos da Estação Central fazendo o trecho em apenas cinco minutos.

sir-adam-hotel_recepção2-1024x682

São 108 quartos distribuídos em oito andares no Adam Tower, construção modernista dos anos 1970, onde um dia funcionou a Shell. O prédio foi totalmente reformado se transformando em um grande centro criativo. Por lá se encontram um escritório da fabricante de guitarras Gibson e outras empresas ligadas ao universo da música, clube noturno, academia, restaurante, hamburgueria, bar e, para amantes da música, uma biblioteca com discos e livros.

cop-europa-2017-06535-1024x576

Não há uma recepção logo na entrada do hotel. Ao invés dela, há o The Butcher, um social club, funcionando 24/7, com área de trabalho, bar, restaurante, cercado por máquinas de fliperama e grandes sofás. Uma escada (ou elevador) leva para o mezanino, onde está a recepção aguardando os hóspedes com prosecco e sorrisos fazendo-os se sentir como um rock star. Quadros de ícones do rock, como David Bowie, decoram as paredes, tem toca-discos e uma prateleira cheia de vinil. Nas mesas revistas e livros descolados de moda, lifestyle e música.

sir-adam-hotel_quarto2-1024x682

Os quatro elevadores do hotel são ambientados cada um de um jeito diferente. Tem elevador com discoball, com projeção cheia de grafismos, com foto de alguém, escuro, claro, com música animada, com música mais ambiente…. é literalmente a sensação de a festa nunca termina por ali.

sir-adam-hotel_the-butcher-1024x682

O Sir Adam parece ter sido pensado para o público millennial e andar pelos seus corredores confirma isso. Apesar do clima festeiro, como o do The Butcher, os quartos são bem confortáveis e super silenciosos a não ser que você queira aproveitar a boa seleção de discos ligando a sua própria vitrola.

sir-adam-hotel_biblioteca-de-discos-1024x682

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Que tal visitar Paramaribo, no Suriname?

Eis um país e sua capital que quase nunca estão na lista de lugares para ser visitado, mas que merecem mais atenção. Tudo bem que é o menor país do América do Sul, com a maior parte de sua área territorial intocável (mais de 90% de sua área é floresta amazônica composta de mata virgem). Mas na ponta nordeste da América do Sul, um tanto isolada mas com ar cosmopolita, Paramaribo, capital do Suriname, tem uma rica arquitetura colonial e uma fascinante diversidade étnica.

Paramaribo1

A população de pouco mais de 250 mil habitantes é um mescla de indianos, indígenas, javaneses, africanos e descendentes de holandeses (que deixaram o idioma oficial após a colonização). E os traços de todas essas culturas estão espalhadas pela cidade.

Para quem pretende visitar apenas a capital Paramaribo, dois dias são suficientes. Se você pretende fazer os passeios que várias agências oferecem por lá (basicamente ecoturismo), precisará de mais tempo. Existem diferentes tipos de passeios, com duração de um a nove dias, e com valores a partir de 19 euros (city tour pela cidade) até passeio de nove dias que custava 950 euros (valores de março de 2016). Como a maior parte dos turistas que visitam a cidade são europeus (holandeses na grande maioria), muitos lugares cobram em euro.

Entre as atrações principais, estão o centro histórico, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO – incluindo a bela Basílica de São Pedro e Paulo, uma das maiores construções de madeira do mundo – o Mercado Central, o forte Zeelandia, a sinagoga Neve Shalom e a Mesquita Keizerstraat.

Paramaribo-Suriname-Mesquita-Keizerstraat

O forte Zeelandia, por exemplo, é uma região que, no século XVII, foi dominada pelos britânicos e batizada como Fort Willoughby, em homenagem ao comandante inglês Lord Francis Willoughby. Reconquistado posteriormente por um holandês da província de Zeeland, passou a ser chamado de Fort Zeelandia. É uma área arborizada, com casas coloniais bem preservadas e um forte que deu o nome a essa “vila” e que abriga um museu.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone