Google+
 

Category Archives: Entretenimento

Experiências de luxo

Hospedar-se em um hotel estrelado, na maioria das vezes, já é algo muito agradável – ou até inesquecível. Mas, em se tratando da competitiva hotelaria de luxo, o desafio, cada vez mais, é ir além das expectativas. Para seduzir seus hóspedes, as redes têm investido em programas elaborados para quem deseja se aprofundar na cultura local e vivenciar os destinos de forma intensa – às vezes, com muita emoção. Veja algumas das estratégias:

1_ViagensExperiencias_abre_div-800x530

- A experiência proposta pela rede hoteleira Four Seasons é uma road trip a bordo de um carro vintage pelas regiões da Toscana e da Riviera Francesa. O ponto de partida fica à escolha do hóspede: o Four Seasons de Milão, de Florença ou de Cap-Ferrat, na França. É possível customizar o roteiro, passando pelas três propriedades ou apenas duas delas (em trajetos de algumas centenas de quilômetros). Não só a rota, mas o veículo também pode ser escolhido – entre um Giulietta Spider 1960, um Mercedes-Benz 190 SP Cabrio ou um Porsche 356A Speedster. Após a escolha da rota e do carro, um concierge personaliza as paradas durante a viagem conforme as preferências do piloto (priorizando gastronomia, artes etc.). Para maior conforto e segurança, um carro de apoio vai seguir o viajante por todo o percurso. Em cada parada nos hotéis, um chef oferece uma cesta de piquenique (para quando bater a fome no meio da estrada).

2_ViagensExperiencias_div-800x530

- O hotel Shangri-La de Doha, no Catar, tem 272 suítes, mas apenas quem se hospeda nas 38 “signature suites” terão à sua disposição, durante a estadia, um belo carro. As opções são muitas: os hóspedes das suítes executivas podem optar por Audi A8, Mini Cooper ou Lexus LX 570 S; na categoria deluxe, Porsche Cayenne, Maserati Gran Turismo e Range Rover; na Shangri-La Suite (a mais exclusiva de todas), o mimo pode ser uma Ferrari California, um Lamborghini Huracán ou os Mercedes GLE 63 e GTS.

7_ViagensExperiencias_iStock-800x530

- No havaiano Hualalai, da rede Four Seasons, a jornada parte da pista de golfe do resort, onde os aventureiros, a bordo de um helicóptero, seguem pelas montanhas Kohala, onde avistam vales e praias de areia preta. A primeira parada é o piquenique ao lado de uma cascata. Depois, escalada até Kamokuna, ponto entre formações rochosas onde mais de 3,7 milhões de litros de lava escorrem para o oceano a cada hora. Um especialista em vulcões se junta ao grupo para sobrevoar o Kilauea, um dos mais jovens e ativos do mundo, em erupção contínua desde 1983. De volta ao solo, um carro leva os viajantes ao Four Seasons Rainforest Cottage Hideaway, onde serão recebidos com um show de música havaiana e dança ula-ula; na sequência, o jantar. Para fechar a noite, visita à cratera vulcânica Kilauea Caldera para ver a lava incandescente em um cenário noturno. Na manhã seguinte, outro voo sobre as plantações de café Kona (entre dezembro e maio, baleias-jubarte também podem ser vistas). Na volta, última parada em uma praia exclusiva.

3_ViagensExperiencias_div-800x530

- Nada mais justo do que passar um dia de rei enquanto estiver hospedado no palácio onde viveu Roland Bonaparte, sobrinho de Napoleão. Ao comprá-lo, em 2006, o grupo asiático Shangri-La restaurou e transformou a propriedade parisiense em um hotel com 101 suítes, preservando a arquitetura e elementos da época. O dia de rei ou rainha começa no Heliporto de Paris -Issy-les-Moulineaux (JPD), localizado a 15 minutos (de carro) do hotel, onde os convidados são levados para um castelo do século 17 na região da Mancha. Lá são recepcionados por “um conde e uma condessa” para um almoço. No retorno a Paris, uma parada em Deauville, cidade à beira-mar convidativa a um passeio pelas calçadas largas e pelos cassinos. De volta aos ares, o helicóptero sobrevoa a região de Versalhes e seus famosos jardins.

8_ViagensExperiencias_div-1-800x530

- O hotel Riyadh, no arranha-céu Kingdom Centre (Riad, Arábia Saudita), também reserva experiências surpreendentes aos visitantes. Os participantes entram no deserto a bordo de um Cadillac Escalade rumo a Adi Diriyah, onde a família real saudita vivia – hoje Patrimônio Cultural da Unesco. Após admirar a arquitetura original do século 15 e passear pelo mercado central de Al Bujairy, uma visita à atração principal: a falésia popularmente chamada de Edge of the World (o nome original é Jebel Fihrayn), onde o guia explica as formações geológicas da “borda do mundo”. Na beira das montanhas, um almoço saudita e, na sequência, voo de asa-delta. A programação termina com a observação do pôr do sol.

9_ViagensExperiencias_iStock-800x530

- As propriedades Amanwella e Amangalla, ambas do grupo Aman no Sri Lanka, lançaram seus “pacotes de experiências” entre novembro e abril. Os hóspedes viajam em catamarãs para a costa sul do país para observar as baleias das espécies cachalote e azul e os simpáticos golfinhos-rotadores. Os grupos, de no máximo seis pessoas, são acompanhados por chef, capitão e mordomo. No roteiro, paradas em praias particulares, mergulho de snorkel, almoço e, no fim da tarde, petiscos e champanhe para brindar o fim da aventura.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

12 destinos alternativos de Natal pelo mundo – Parte 3

Esse ano, faça algo diferente no Natal. Prepare as malas e viaje para esses um destes 12 destinos alternativos para passar o Natal pelo mundo!

9) Livingstone, Zâmbia

Livingstone

Como um uma cidade predominantemente cristã, Livingstone é sempre alegre neste mês de feriado, com nativos animados recebendo visitantes com braços abertos para cantar canções de Natal, assistir uma peça natalina ou participar da entrega de presentes da comunidade. Mas o melhor presente de Natal que alguém pode se dar é uma excursão para fora da cidade, para o Parque Nacional Mosi-ao-Tunya, classificado como Patrimônio Mundial da UNESCO.

Ele abriga um parque de vida selvagem, floresta tropical e a deslumbrante cachoeira de Victoria Falls, também conhecida como “A Fumaça que Troveja”, a qual conecta a Zâmbia com seu vizinho ao sul, Zimbábue. Os nativos são extremamente orgulhosos deste marco nacional barulhento, e o número relativamente baixo de turistas da Zâmbia significa que você pode se aventurar pela floresta tropical sem ter que dividi-la com outras multidões alegres. Mas não esqueça da câmera.

Victoria Falls é notada como um dos arco-íris lunares mais impressionantes (e românticos) do mundo e o alcance caleidoscópico de cores será certamente uma visão para se guardar.

10) Budapeste, Hungria

Budapeste

Procurando um pouco da alegria de Natal diferente e com um orçamento apertado? Então a capital húngara tem encantos de sobra! Em primeiro lugar há o obrigatório mercado natalino na Praça Vörösmarty.

Comumente proclamado o mercado festivo mais barato de toda a Europa, as lembranças regulares para turistas é substituída por artesanatos húngaros feitos à mão – ótimos para presentes de natal de última hora. Se a gelada temperatura de dezembro e queda de neve te der calafrios, aqueça-se então com um mergulho no maios banho térmico de Budapeste, o Széchenyi.

E então há os bondes de contos de fadas! Durante todo o mês de dezembro, três linhas centrais de bondes são enfeitadas com encantadoras luzes de contos de fadas. Olhar pelas janelas destes trenós futurísticos é uma maravilhosa maneira de ver uma Budapeste radiante ao anoitecer.

11) Sydney, Austrália

sydney

As festividades pré-natalinas em Sydney também não deixam de seguir as tradições das grandes capitais do hemisfério norte.

Os tradicionais corais entoam seus concertos no Pitt Street Mall, e o famoso mercado The Very Merry Christmas Rocks Market concentra de presentes artesanais a deliciosas iguarias sazonais. Para uma boa dose de cantoria, não perca o maior concerto de Natal gratuito da Austrália, o Woolworths Carols in the Domain. Esse popular evento anual acontece perto do Jardim Botânico Real e é garantia de um desfile dos seus clássicos natalinos favoritos.

Mas na Austrália, só não há castanhas torrando em uma fogueira ou boneco de neve com nariz de cenoura. Por lá, o comum é assar uns camarões numa barbie (churrasqueira) sob um sol escaldante. Então se para você Natal tem que ter calor, não pense duas vezes e vá para a Bondi Beach. A praia mais badalada da Austrália é o ponto perfeito para fazer novas amizades, pegar umas boas ondas e ver de perto como os australianos celebram o Natal com muito estilo.

12) Nassau, Bahamas

nassau

Se você está procurando fugir da depressão pós-natal com um sol de rachar, figurino estrangeiro e o ritmo pulsante dos tambores goombay que são simplesmente irresistíveis, então convide-se para Nassau’s Junkanoo!

Ocorrendo em 26 de dezembro e novamente no dia de ano novo, é o festival de rua mais antigo do Caribe, e até rivaliza com o Mardi Gras de Nova Orleans e o Carnaval do Rio com suas fantasias brilhantes, coloridas e até mesmo malucas.

Entre a curtição e a alegria, o mês de dezembro é perfeito para pessoas buscando descansar e relaxar na menos movimentada Praia do Cabo, ou entrar de cabeça no azul para roteiros de mergulho mundialmente famosos.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

12 destinos alternativos de Natal pelo mundo – Parte 2

Esse ano, faça algo diferente no Natal. Prepare as malas e viaje para esses um destes 12 destinos alternativos para passar o Natal pelo mundo!

5) Kyoto, Japão

kyoto

Kyoto é o centro do budismo japonês. Como você deve imaginar, o Natal é um pouco diferente aqui. Sem uma forte conexão religiosa às festividades, os nativos celebram a época com uma abundância de decorações brilhantes e um pouco de romance à moda antiga, com milhares de casais saindo na véspera de natal para frequentar os restaurantes, bares e “hotéis românticos” mais ostensivos da cidade.

Uma vez tendo experimentado a ternura de cidade do interior, a “O-minugui Shiki” (cerimônia de limpeza) anual do templo Chion-in no dia 25 de dezembro é um tributo musical espetacular ao nascimento da Terra Pura do Budismo. Finalize o grande dia com uma viagem aos arredores ocidentais de Kyoto para uma trilha no Arashiyama. Registrado como um “local de cenário de beleza” nacional, caminhar através do mar de caules verdes de bambu é como entrar em outro mundo – uma maneira verdadeiramente mágica de passar o dia de Natal!

6) Provence, França

provence

Gastronomia, presépios e decorações dignas de contos de fada… bem-vindo a Provence!

O clima mais frio não diminui em nada o famoso joie de vivre francês. As ruas das cidades ficam cobertas de decorações e os lojistas capricham nos enfeites das vitrines. Outra tradição dos moradores são as feiras de “santons”, miniaturas de barro artesanais feitas por artistas locais. Originalmente, os santons eram usados para criar os presépios, mas no século 19 também passaram a recriar cenas do cotidiano. Hoje, os santons franceses ilustram profissões diversas, como padeiros, padres, pescadores, cantores e açougueiros.

A comida, como era de se esperar, é levada muito a sério por lá. A ceia na véspera do Natal inclui sete pratos, honrando as Sete Dores de Maria. Eles são servidos com 13 pãezinhos, seguidos por 13 sobremesas, representando a Última Ceia de Jesus com seus 12 apóstolos.

7) Honolulu, Havaí

Honolulu

Se está procurando um Natal no paraíso, que lugar melhor do que Ho-Ho-Honolulu no Havaí?! O estado mais ensolarado dos EUA tem celebrado as festividades natalinas ocidentais desde o começo do século XIX, mas com um toque havaiano único. Atualmente, os nativos na capital celebram em grande estilo, compartilhando a alegria do Natal com uma festa que dura o mês inteiro de dezembro, cheia de fogos de artifício, paradas e canções de Natal com acompanhamento de ukulele.

É provavelmente o único lugar do mundo no qual o Papai Noel está tão relaxado que aparece no luau vestindo um sarongue vermelho, chinelos e (você adivinhou) uma camisa florida, carregado numa canoa puxada por golfinhos. Não, é sério…

8) Tallinn, Estônia

Tallinn

O centro antigo de Tallinn é praticamente um cartão-postal: igrejas antigas, arquitetura barroca, telhados coloridos e ruazinhas de pedras. Tudo tão bem preservado que parece que você viajou de volta ao passado. Apesar de o frio congelante tomar conta dos Países Bálticos no inverno, Tallinn costuma brilhar como uma luz de Natal durante a época do Yuletide.

Aliás, dizem que Tallinn foi onde foi montada a primeira árvore de Natal na Europa. Em 1441, a primeira árvore foi erguida na praça central pela Irmandade dos Cabeças-Negras, uma associação de mercantes solteiros, que cantavam e dançavam ao redor da árvore. A celebração local do Natal ainda hoje gira em torno de uma árvore de Natal, onde acontece um dos melhores mercados de Natal da Europa todos os anos. Vasculhe pelos estandes que vendem de chapéus de lã a objetos cerâmica, de velas perfumadas a decorações em madeira. Tudo produzido por artesãos locais.

Entre uma comprinha e outra, pare para provar sauerkraut (chucrute), salsichas e um copo de vinho quente no mercado.

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

12 destinos alternativos de Natal pelo mundo – Parte 1

Esse ano, faça algo diferente no Natal. Prepare as malas e viaje para esses um destes 12 destinos alternativos para passar o Natal pelo mundo!

1) Tromsø, Noruega

Tromsø

Tem sonho de passar um Natal branquinho? Se frio não é mesmo o seu problema, que tal ir além e encarar as festas em pleno Círculo Ártico?

A cidade-ilha de Tromsø, apesar de ser tomada pela escuridão durante o inverno, ganha vida especial no mês de dezembro. Aromas de tangerina, pinheiros e pãezinhos de gengibre estão por toda parte, sem falar nas cantigas natalinas que ecoam pelo hall da Catedral Ártica. Os moradores se juntam nos mercados de Natal, e com tanta tentação ao redor, vai ser difícil resistir. Experimente o tradicional “ingefærnøtter”, biscoitos de gengibre em forma de bolinhas, acompanhados de um copo de quentão de crowberry para ajudar a esquentar.

Um imenso benefício de se estar no escuro total é poder avistar a famosa Aurora Boreal. Fique de olho entre seis da tarde e meia-noite e, enquanto espera, aproveite também a abundância de neve: pratique dogsled, esqui cross-country ou uma divertida guerra de bolas de neve.

2) Küssnacht, Suíça

Küssnacht

Na maioria dos cantos do mundo, Papai Noel é recebido em nossas casas e nossos corações com braços abertos. O mesmo não pode ser dito do peculiar vilarejo de Küssnacht, descansando na margem mais ao norte do Lago Lucerne, onde aproximadamente 20 mil turistas aparecem a cada dia 5 de dezembro para caçar o bom velhinho.

O confronto é chamado “Klausjagen”, também conhecido como “perseguindo o Noel”, e está entre as celebrações natalinas mais estranhas da Europa, não por menos começou na Idade Média como uma tradição pagã, quando as comunidades tentavam afugentar espíritos malignos com um barulho insuportável. O evento era tão turbulento que foi proibido no século XVIII, apenas para ser reintroduzido um século depois em uma nova forma cristã, com o pobre Noel na linha de fogo.

A parada que dura a noite inteira apresenta 180 corneteiros, duzentos homens enfeitados com iffeles, mitras de bispos gigantes iluminadas a velas feitas para parecerem vitrais e 700 percussionistas de sinos “perseguindo” o rebelde conhecido como Noel e seus quatro elfos das trevas para fora da cidade.

3) Douz, Tunísia

douz

Famoso por ser o local de filmagem dos filmes de Guerra nas Estrelas, a cidade do oriente médio de Douz é comumente rotulado como o sonolento “portão para o Saara”. Mas pelos últimos quatro dias de dezembro, as tribos árabes que moram lá transformam esta terra estéril de poeira em um espetáculo beduíno magnífico.

O Festival Internacional do Saara atrai uma grande multidão, com turistas de todo o mundo se unindo aos nômades viajando dos países vizinhos do norte da África para experienciar os torneios de hóquei de areia, ricas oferendas de comida, feiras de artesanato e apresentações tradicionais de dança do ventre.

Em Douz, o humilde camelo é tanto rei quanto o melhor amigo do homem, e os 50.000 visitantes anuais têm grande prazer em ver esses mamíferos corcovados participarem de rodeios e corridas através do cenário desértico. Não há nem sinal de natal, mas esta festa Tunísia anual é tão festiva quanto!

4) Castleton, Reino Unido

castleton

As semanas antes do Natal são geralmente estressantes, com muitas compras, limpezas e preparação da ceia. Que tal fugir disso tudo e se esconder em Castleton, um charmoso vilarejo inglês onde o que importa são os simples prazeres da vida?

A temporada de festas começa com o acendimento das luzes de Natal. Todas as lojas capricham nas decorações mágicas e no espírito natalino para receber moradores e visitantes. Muitas ficam abertas até mais tarde, e costumam organizar eventos e concursos temáticos, como quizzes, oficinas de artesanato e jogos diversos para os pequenos.

Sede de quatro cavernas, Castleton faz ótimo uso delas durante o período natalino. Na Peak Cavern, por exemplo, a tradição é de entoar cantigas natalinas à luz de velas. Bandas de música tradicional apresentam-se todas as noites, e os visitantes são convidados a provar o vinho quente e as “mince pies”, as tortinhas de Natal típicas. Impossível resistir ao charme e ritmo descontraído da cidadezinha.

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Roteiro astronômico pelo céu Chile

1_tour-astronomico_oaa-1024x561

Percorrer o Chile de norte a sul é como visitar mais de um país em uma única viagem. Dos canais estreitos e gelados dos fiordes, na Patagônia, ao cenário árido do Atacama, no norte do país, o viajante encontra uma das mais variadas geografias em um mesmo destino da América do Sul.

Mas não é só em terra que turistas são recebidos com uma das mais impressionantes paisagens da América do Sul. Com condições climáticas que garantem mais de 300 noites de céu aberto por ano, os céus do Chile são conhecidos, mundialmente, por sua nitidez. Conheça observatórios turísticos do Chile que estão abertos para visitas:

2rd1-1024x682

O Observatório Astronômico Andino se localiza a 20 minutos da capital chilena e está a 1.240 metros sobre o nível do mar. A visita noturna aberta ao público acontece em uma cúpula com três telescópios e um terraço de observação. O local oferece também observação diurna em três telescópios solares com filtro de Hidrogeno Alfa, o que permite apreciar detalhes do sol.

Com tours de 2h30 de duração, o Space ensina aos astrônomos de primeira viagem a observarem o céu a olho nu e até a lerem um mapa astronômico. Dividido em duas etapas que incluem até chocolate quente no final da visita, na sala da casa do astrônomo responsável pela experiência, o passeio permite também o uso de um dos 10 telescópios disponíveis.

1_paranal-trail-ut1-4-1024x682

Localizado a 2.635 metros sobre o nível do mar, em Taltal, sul de Antofagasta, o Observatório Paranal conta com o VLTP, o Very Large Telescope Project, um sistema de quatro telescópios ópticos de 8,2 metros de diâmetro, considerado o mais avançado do mundo.

As visitas guiadas de duas horas, aos sábados, permitem o uso dos telescópios desse observatório de alto nível científico, a 87 km ao leste de La Serena e a 2.200 metros sobre o nível do mar.

cerro_tololo_from_air

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Festival de luzes na França

festival-chartres-en-lumiere-910x607

Considerado o mais longo evento do gênero em todo o mundo, o Chartres en Lumières é um espetáculo de luzes que dura seis meses (de abril a outubro), quando 24 pontos da cidade de Chartres, a uma hora de Paris, são iluminados com a projeção de imagens em suas fachadas. Mais de 100 projetores, convencionais e de LED, iluminam igrejas, museus e ruas, durante 210 noites ininterruptas. Espalhadas pela cidade, as projeções podem ser visitadas a pé ou em um trenzinho que circula pelos pontos iluminados do evento.

O projeto cenográfico, assinado por coletivos de artistas franceses, é criado a partir de temas relacionados com o local iluminado, como a construção da igreja de Notre-Dame de Chartres, cuja projeção na fachada principal começa com homenzinhos fazendo uma espécie de rapel nas torres até darem início à montagem do monumento com blocos de pedra, em um mapeamento visual detalhista que paralisa quem assiste. Patrimônio Mundial pela Unesco e uma das maiores da França, essa catedral gótica do século 12 abriga quatro mil estátuas e 172 vitrais que ganham uma nova texturização, em uma espécie de ilustração colorida em 3D.

festival-chartres-en-lumiere2-910x609

Outro destaque do evento é a projeção no Museu de Belas Artes, assinado pela designer gráfica Leslie Epsztein, que se inspirou em mapas astrais e instrumentos astronômicos de medida do século 16 para criar os desenhos projetados.

Chartres en Lumières acontece também em locais como o teatro da cidade, o casario da rue de l’Étroit Degré e as pontes sobre o rio Eure. No entanto, o espetáculo não é apenas para ser visto e o visitante também pode fazer suas próprias criações visuais. A Galeria de Chartres, na antiga Capela de Sainte-Foy, é a versão interativa do evento, onde um tablet gigante disponibiliza 120 combinações de desenhos que podem ser escolhidos e projetados pelo próprio visitante.

festival-chartres-en-lumiere3-910x543

Chartres é uma das cidades do Vale do Loire, no centro-norte da França, destino conhecido pela maior concentração de castelos do mundo. A região abriga cerca de 300 dessas construções medievais abertas para visita, de um total de mil castelos.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Universal Studios ganha atração de “Velozes e Furiosos”

A nova atração no parque Universal Studios promete acelerar o coração dos visitantes. O Fast&Furious Supercharged é um simulador inspirado nos filmes da franquia ” Velozes e Furiosos “. O brinquedo simula que você está em um veículo potente em alta velocidade e te leva para uma volta radical de carro. Os cenários e a trilha sonora ajudam a fazer com que você se sinta parte desse filme de ação.

Os filmes “Velozes e Furiosos” contam com uma grandiosa bilheteria mundial, que ultrapassa US$ 5 bilhões, e a cada sequencia a franquia foi se consolidando como um fenômeno mundial. Os roteiros lotados de ação, os personagens e os cobiçados carros conquistaram o público e agora ganharam um espaço especial no Universal Studios.

c5zkrex69cb35f534wun7dcca

O simulador tem o intuito de fazer com que o visitante se sinta dentro de um dos carros do filme, em alta velocidade, recriando de forma autêntica as cenas e os veículos – como os pilotados por Dom (Vin Diesel) e Roman (Tyrese Gibson) –, tudo para enlouquecer os fãs. Durante a atração, é possível ter a sensação de que o carro está acelerando e até girando na pista, ou seja, a ação vai aumentando gradativamente e tudo é embalado por uma trilha sonora especial.

A atração possui diferentes sistemas de fila . A Stand-By é a fila normal; a Express Pass  é a fila rápida e, para usufruir essa comodidade, você precisa pagar à parte ou se hospedar em um dos resorts de luxo do Universal Orlando Resort. Já a Single Rider é uma opção própria para quem está sozinho ou não se importa de brincar em carrinhos separados dos amigos ou da família.

Também tem a opção do Virtual Line , que funciona da mesma forma que na atração “Race Through New York Starring Jimmy Fallon”. “A partir do momento em que se chega ao parque, pode-se pré-agendar o horário para entrar na atração sem fila através do aplicativo ‘ Universal Studios Florida’ ou pode retirar o ticket de retorno à atração indo aos quiosques que ficam em frente a ela” destaca Rebeca Colpaert, consultora da Rumo a Orlando.

Fonte: Ig

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Resort luxuoso chega no Coachella

O Coachella Valley Music and Arts Festival, que atrai mais de cem mil pessoas para três dias de música, criou uma enorme gama de opções de hospedagem nos entornos do festival. O Coachella é um deserto seco e vasto, perto de Salton Sea, a 45 minutos de Palm Springs, e o festival de música é realizado no Empire Polo Club, localizado em Indio, na Califórnia. Vários eventos são nos campos de pólo do clube, como o Stagecoach, para os fãs de música country, e o Desert Trip, para os amantes dos clássicos. Diante da chegada massiva de pessoas à região, a necessidade de hospedagem levou à criação do resort, uma luxuosa terra da fantasia no meio do deserto.

O Hotel Indigo será operado pela Highgate Hotels sob a bandeira do Inter Continental Hotels Group. O projeto de 250 quartos conta com 51 casitas e uma área de entretenimento de 45 mil metros quadrados para os eventos. Além disso, os espaços públicos foram projetados com inspiração nas cabanas Quonset.

Hotel-Indigo

O resort de 140 quilômetros quadrados foi desenvolvido por patrocinadores secretos de celebridades, como Stuart Rubin, investidor de imóveis, e Gary Stiffelman, advogado de entretenimento, ambos de Los Angeles. O novo espaço também oferecerá uma alternativa ao Empire Polo Club, com seu próprio local para entretenimento de 45 mil metros quadrados coberto de grama – ideal para eventos musicais.

O destaque é a piscina de três mil metros quadrados que sai na dianteira em comparação às dos demais resorts de Las Vegas ao oferecer água salgada gelada para compensar as ondas de calor de três dígitos Fahrenheits da cidade. Sem contar a grande ilha de bares que servem coquetéis no interior da piscina, bem como uma estação de DJs e uma longa passarela para desfiles de moda.

la-1530140136-dos3o7dzec-snap-image

A área da piscina será cercada por enormes casitas que variam de dois a seis quartos e oferecem entradas e banheiros privativos e salas de estar para entretenimento. O resort também terá spa, academia, estúdio de ioga, variados restaurantes, além de uma loja de cannabis.

A inauguração do espaço é esperada para a metade do segundo semestre deste ano – com permissão para realizar eventos até as quatro horas da manhã, o que é inédito na região. Uma parede de 370 metros de altura à prova de som, em volta do espaço de shows, ajudará a reduzir os ruídos para não atrapalhar aqueles que desejam dormir.

la-1530140433-8uyo4crc9o-snap-image

As redondezas da propriedade também experimentaram crescimento com a abertura de novos hotéis para acomodar o grande aumento de visitantes – o que inclui o novo edifício Kimpton Rowan, de sete andares e 153 quartos, em Palm Springs; os 150 quartos distribuídos em três andares do Hotel Paseo, em Palm Desert; e os 140 quartos de luxo do Montage La Quinta. Além disso, o Hard Rock Hotel, em Palm Springs, retornará ao seu nome original, Hotel Zoso; o Sands Hotel and Spa, na mesma região, foi todo reformulado por Martyn Lawrence Bullard; e, em 2019, o SilverRock Resort and Spa abrirá em La Quinta.

Claro, ainda é possível ficar em um yurts de luxo no Polo Grounds ou enfrentar os longos passeios até o festival e as enormes dores de cabeça no estacionamento. As opções disponíveis são inúmeras para as multidões de turistas na área.

Fonte: Forbes

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Tour no Louvre com Beyoncé e Jay-Z

Se você já foi alguma vez ao Museu do Louvre em Paris, pode ter saído de lá com alguma preguiça de voltar. Isso porque ele é um dos maiores museus do mundo, tem mais de 380 mil peças no acervo (só 35 mil ficam em exibição permanente), e para você conseguir ver tudo, precisa de pelo menos quatro dias inteiros dedicados só a isso. Correr uma maratona não parece tão difícil assim, não é? Brincadeiras à parte, visitar o Louvre é realmente um exercício de condicionamento e paciência. As distâncias lá dentro são realmente enormes e a muvuca é garantida diariamente.

735x413mv

Mas agora, se você quiser fazer uma visita express, e ver tudo que tem de mais importante lá dentro, sem gastar nenhum tostão, seus problemas acabaram! Na calada da noite, o casal megastar Beyoncé e Jay-Z fez a cena das artes clássicas virar de ponta cabeça, gravando seu último clipe, da música ‘Apeshit‘, escondido no museu. Em pouco mais de 6 minutos, dá para ver as obras mais importantes do acervo, aquelas que ao vivo sempre tem uma multidão em volta se engalfinhando para conseguir uma boa foto para o Instagram. Claro que para a realeza de Bey-Z, o Louvre abriu as portas com exclusividade, então é bem provável que essa seja a melhor visão que você vai conseguir das obras-primas na vida.

Claro que o clipe não saiu incólume, e teve muita polêmica em torno dele. Puristas não se conformam que uma das mais importantes instituições de arte do planeta tenha se ‘vendido’ para o mundo pop. Já o mundo pop não parece muito preocupado, e o vídeo já coleciona 58 milhões de visualizações. Talvez essa seja a única forma que muita gente, pelo mundo todo, com menos condições vai conseguir entender a suntuosidade e a relevância do Louvre. E com certeza muita gente (mesmo as com condições) vai descobrir que existe um universo além da Mona Lisa ali dentro.

the-carters-apeshit-louvre-02-720x405

Apesar de não precisar muito de propaganda, essa cartada fez a popularidade do Louvre disparar, principalmente no público jovem. E não demorou para capitalizar em cima disso. Agora já está disponível para quem vai ao museu, uma espécie de ‘tour dos Carters’. Em uma hora e meia de percurso, você passa pelas 17 obras que aparecem no video, que estão entre as mais importantes do acervo. Além, claro, de ‘La Gioconda‘ de Da Vinci, o tour passa por ‘A Coroação de Napoleão’ e o ‘Retrato de Madame Récamier’ de Jacques-Louis David, ‘A Balsa da Medusa’ de Théodore Géricault, ‘O Casamento de Canaã’ de Veronesi, a ‘Grande Esfinge de Tânis’ do Egito Antigo, a célebre ‘Venus de Milo, e a exuberante ‘Vitória de Samotrácia’ na escadaria, ambas da Grécia Antiga.

Quem visita o Louvre pela primeira vez, provavelmente vai acabar vendo isso mesmo. Bey-Z só institucionalizaram o roteiro básico. Agora resta saber quem vai conseguir realmente VER a exposição que eles montaram, enxergar além das obras e entender a denúncia que o video faz ao próprio império da arte eurocêntrica, colonialista, masculina e branca.

Apeshit-1

Fonte: Blog Chicken or Pasta

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Caça-fantasmas na Grã Bretanha

Dona de lendas com fantasmas e monstros folclóricos, a Grã-Bretanha guarda histórias de vampiros criados em cidades costeiras, bruxas queimadas em praça pública e, claro, a famosa história do Jack, o Estripador. Para deixar suas próximas férias em terras britânicas bem arrepiante,  confira essa lista elaborada com experiências de dar calafrios:

Localizada a cerca de 3h30 de Londres, a cidade de Sheffield conta com um tour com temas variados, em dias alternados, como os clássicos de fantasmas, as mais aterrorizantes e até uma combinação de situações assustadoras e contos fantasmagóricos tradicionais.

1rd_Sheffield_BY_Nikos-Roussos-1024x699

Já a terra natal de William ShakespeareStratford upon Avon, abriga a Falstaff Experience. A experiência acontece em uma casa do século 14, lar de supostos 40 fantasmas, onde é possível participar de excursões mal-assombradas guiadas por lanterna durante o dia e sessões fantasmagóricas paranormais à noite.

The Falstaff Experience,  em Stratford-upon-Avon, oeste da Inglaterra (foto: Elliott Brown/Flickr-Creative Commons)

Localizada a pouco mais de 2 horas de trem de Londres, York  abriga uma excursão mal-assombrada de 75 minutos adequada para famílias, onde são contadas algumas das histórias mais fantasmagóricas de York como a do Conde Sem Cabeça e a de Grey Lady, a freira que foi confinada viva.

Tour fantasmagórico em York, Yorkshire, no norte da Inglaterra (foto: Clare Young/Flickr-Creative Commons)

Nem só de música vive a eterna cidade dos Beatles. Nesse passeio guiado de 75 minutos pela Hope Street, no centro de Liverpool, os visitantes corajosos ouvem histórias da peste negra, sobre a casa onde o irmão de Hitler se escondeu e até sobre a residência de John Lennon.

Liverpool, onde acontecem tours assombrados na Hope Street (foto: Radarsmum67/Flickr-Creative Commons)

Localizado na zona rural de Lancashire, no norte da Inglaterra, Pendle Hill é tão assombrada que muitos moradores se recusam a caminhar pela montanha depois que escurece. Um dos acontecimentos mais famosos é o “Julgamento das Bruxas de Pendle”, em que dez pessoas foram enforcadas por crimes que incluíam bruxaria, em 1612.

Interior do presídio Crumlin Road, em Belfast, na Irlanda do Norte (foto: Robbie Dale/Flickr-Creative Commons)

Considerado um dos castelos mais assombrados da Escócia, o Glamis é amaldiçoado porque, segundo a lenda, um cálice ancestral foi retirado da residência, onde deveria ter permanecido para sempre. A cidade de Glamis está a cerca de 90 minutos de carro de Edimburgo e Glasgow, no sentido norte. 

Vista do Castelo de Glamis, na Escócia (foto: Mark Gregory/Flickr-Creative Commons)

História, mito e humor se encontram nesse tour descontraído de 90 minutos pela cidade costeira de Tenby, no sudoeste do País de Gales. Conduzido pela local Marion Davies, o passeio conta histórias de pubs assombrados e de atividades fantasmagóricas nas ruelas da cidade.

Vista de Tenby (foto: Matthew Hartley/Flickr-Creative Commons)

Imagine ser perseguido em um labirinto por Jack, o Estripador e fazer um passeio na escuridão de uma masmorra. O mais famoso tour do gênero, conhecido como London Dungeon, acontece em Londres, próximo à roda-gigante London Eye.

London Dungeon Last Supper, em Londres (foto: Visit Britain/Divulgação)

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone