Google+
 

Category Archives: Aventura

A natureza imponente da Tanzânia

Qual parte da natureza é mais encantadora? Áreas verdes, praias? A Tanzânia tem tudo isso! País com a maior área de terras dedicadas a parques, é destino ideal para a observação de animais selvagens e conta com uma infinidade de paisagens naturais. Com boa parte do território intocada, espécies diferentes se espalham pela natureza virgem do país. Dos big 5 (leão, elefante, búfalo, leopardo e rinoceronte) à Cratera de Ngorongoro e à cultura e costumes do povo masai. O país africano dispõe de fauna selvagem, exposta em um safári pelo Serengeti, abundante área verde, com áreas de preservação que cobrem uma extensão de mais de 200 mil quilômetros quadrados e ainda é cenário de culturas enraizadas. Tem mais: o arquipélago de Zanzibar, repleto de belas praias, também é da Tanzânia.

5b9ab59c18137_iStock-536057853

Cratera de Ngorongoro

Já pensou em fazer um safári na Arca de Noé? Calma! Parece estranho, mas na Tanzânia é possível. Arca de Noé é como é conhecida a Cratera de Ngorongoro. Essa reserva natural abriga uma enorme quantidade de espécies de animais, daí a origem do apelido, e realiza safáris imperdíveis por toda a sua extensão territorial. Ngorongoro é a maior caldeira vulcânica intacta do mundo, são 304 quilômetros quadrados de superfície e 2236 metros acima do nível do mar. Trata-se de um ecossistema praticamente intocado, onde espécies como búfalos, elefantes, zebras, gnus, gazelas e rinocerontes-negros convivem, em uma região próximo ao Lago Manyara e tombada pela Unesco como Santuário da Biosfera.

Parque Nacional Serengeti

5b9ab4b491b62_iStock-944942170

“Planície sem fim”. O significado de Serengeti, na língua masai, traduz com perfeição o que é o Parque Nacional Serengeti. São mais de 14 mil quilômetros quadrados de vegetação e uma incrível diversidade animal. Este santuário de vida selvagem na África tem números impressionantes. Mais de 2 milhões de gnus, 500 mil gazelas, 25 mil zebras, cerca de 30 espécies de herbívoros e quase 500 espécies de pássaros. A observação de leões, hipopótamos e elefantes, e da famosa migração de gnus e zebras, pode ser feita em um safári exclusivo e especial, por conta do seu difícil acesso.

Zanzibar

5b9ab506ee1f3_iStock-942179694

O verde imponente da rica vegetação não é a única cor que dá cara à Tanzânia. Zanzibar, um arquipélago na costa do país, traz o azul turquesa do Oceano Índico e o branco das areias. Isso mesmo, as dezenas de praias paradisíacas de Zanzibar têm o mar azul turquesa e a areia branquinha, em uma região onde o sol brilha praticamente o ano todo. A dica é aproveitar a água morna e calma da região para atividades como snorkel e caiaque. Não é só isso! Pitorescas vilas de pescadores locais, que exibem arquitetura típica do período colonial, também contribuem para tornar Zanzibar um destino imperdível!

Fonte: The Traveller

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Cruzeiro indiano

Se você pensa na Índia como um fluxo interminável de motocicletas e carros desviando de vacas, pedestres e cachorros… Bem, você está certo. Mas você também terá uma surpresa e, acredite, um descanso luxuoso, ao velejar no Vrinda.

A embarcação a motor cobre a bela parte sul da Índia, conhecida como Kerala, e é administrada pelo famoso Oberoi Hotel. Não é de admirar que os quartos sejam o que você encontraria em um hotel de luxo, e a comida, indiana e continental, é uma bela experiência gourmet.

destaque

Os remansos indianos transcendentes da antiga cidade comercial de Cochin ficam a uma curta viagem de avião de Mumbai e depois a uma hora de carro até um dos maiores lagos do país, o majestoso Vembanad.

O Vrinda, que significa “cacho de flores”, em hindi, tem apenas oito cabanas, com 32 metros de comprimento, um amplo convés principal, uma sala-de-jantar e um deque superior para tomar sol. O quarto tem uma cama queen size, um closet, duas mesas de cabeceira e um banheiro com chuveiro. Pressione um botão e um mordomo aparece. Mais importante, há uma grande janela que se abre para as águas.

A-Luxury-Cabin-The-Oberoi-Motor-Vessel-Vrinda-Kerala.-1200x945-800x530

Durante o dia, um guia entra a bordo para uma breve conversa sobre a área. Depois, ele leva os hóspedes à terra para uma variedade de excursões diárias: uma visita a uma sala de aula, a um templo budista ao ar livre; a um escultor cujas esculturas adornam igrejas tão distantes como a Flórida; e a uma igreja católica romana que data dos primeiros dias do século 17.

A cada noite, o Vrinda retorna ao seu porto de origem e, em todas elas, há um show. A alguns metros da doca, dançarinos preparam seu traje exótico. Há sempre pessoas nas proximidades, oferecendo conselhos sobre os costumes locais. Vários artistas também chegam a bordo para uma apresentação bastante intimista. Há ainda uma experiência de jantar mais formal, quando todos os convidados se sentam em uma mesa longa e estreita.

Fonte: Forbes

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Nadando com as águas vivas no Oceano Pacífico

jelly7

Nadar no meio de milhões de águas vivas não parece estar nos planos de muita gente, até porque o resultado pode não ser o melhor. Mas no conhecido “Jellyfish Lake“, isso é possível! O lago das águas vivas fica na ilha Eil Malk, no Palau, Oceano Pacífico.

jelly8

Todos os dias, os seres da espécie Mastigia, também conhecida como “dourado”, migram através deste lago marinho de águas salinas, que se conecta ao mar – que recuou há cerca de 12 mil anos – através de túneis e fissuras nas pedras calcárias que o envolvem. Mesmo cercado por terra e isolado do oceano, o lago retém as águas-vivas a tal ponto que elas não usam mais seus ferrões, visto que não há mais predadores no lago. E é isso que possibilita o inusitado mergulho.

jelly1

Embora o mergulho seja possível, chegar abaixo de 15 metros pode ser fatal devido uma camada de sulfeto de hidrogênio altamente tóxico e que pode ser absorvido pela pele. Dizem que pessoas mais sensíveis também podem ter a pele incomodada pelas águas vivas douradas.

jelly3

Atualmente, a probabilidade é de que ao menos 2 milhões dessas encantadoras criaturas vivam ali. Elas nadam duas vezes ao dia pela extensão do lago em busca de aumentar a luz solar que recebem. Embora pareçam enormes, muitas delas são pequeninas, até menor do que um punho humano.

jelly14

Você teria coragem?

Fonte: Nômades Digitais

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Roteiro astronômico pelo céu Chile

1_tour-astronomico_oaa-1024x561

Percorrer o Chile de norte a sul é como visitar mais de um país em uma única viagem. Dos canais estreitos e gelados dos fiordes, na Patagônia, ao cenário árido do Atacama, no norte do país, o viajante encontra uma das mais variadas geografias em um mesmo destino da América do Sul.

Mas não é só em terra que turistas são recebidos com uma das mais impressionantes paisagens da América do Sul. Com condições climáticas que garantem mais de 300 noites de céu aberto por ano, os céus do Chile são conhecidos, mundialmente, por sua nitidez. Conheça observatórios turísticos do Chile que estão abertos para visitas:

2rd1-1024x682

O Observatório Astronômico Andino se localiza a 20 minutos da capital chilena e está a 1.240 metros sobre o nível do mar. A visita noturna aberta ao público acontece em uma cúpula com três telescópios e um terraço de observação. O local oferece também observação diurna em três telescópios solares com filtro de Hidrogeno Alfa, o que permite apreciar detalhes do sol.

Com tours de 2h30 de duração, o Space ensina aos astrônomos de primeira viagem a observarem o céu a olho nu e até a lerem um mapa astronômico. Dividido em duas etapas que incluem até chocolate quente no final da visita, na sala da casa do astrônomo responsável pela experiência, o passeio permite também o uso de um dos 10 telescópios disponíveis.

1_paranal-trail-ut1-4-1024x682

Localizado a 2.635 metros sobre o nível do mar, em Taltal, sul de Antofagasta, o Observatório Paranal conta com o VLTP, o Very Large Telescope Project, um sistema de quatro telescópios ópticos de 8,2 metros de diâmetro, considerado o mais avançado do mundo.

As visitas guiadas de duas horas, aos sábados, permitem o uso dos telescópios desse observatório de alto nível científico, a 87 km ao leste de La Serena e a 2.200 metros sobre o nível do mar.

cerro_tololo_from_air

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

A trilha mais perigosa do mundo

gcom_trilha_mais_perigosa_do_mundo_china_09

O quanto você se arriscaria para alcançar a iluminação em um templo religioso a mais de 2 mil metros de altura, nas montanhas da China? Pelo visto, os poderes espirituais do local devem ser dos melhores, pois milhares de turistas passam anualmente na trilha mais perigosa do mundo, no monte Huashan, para chegar às tradicionais construções. Trata-se de um templo taoísta de grande importância, construído por volta do século 2 a.C. Lá, cinco belas construções se distribuem, criando a forma de uma flor mística.

gcom_trilha_mais_perigosa_do_mundo_china_08

Para chegar ao topo, é necessário passar por pequenas trilhas de madeira, escadas incrustadas nas pedras e pontes que se esticam sobre precipícios a milhares de metros do chão. De acordo com estatísticas não oficiais, aproximadamente cem pessoas morrem anualmente no local antes de alcançar o topo! Mesmo assim, o fluxo de turistas continua crescendo.

gcom_trilha_mais_perigosa_do_mundo_china_07

Para aqueles que gostam de adrenalina e se garantem no preparo físico, uma coisa é inegável: a vista é de tirar o fôlego. Já para os menos destemidos, as fotos e vídeos do local já cumprem o papel de encantar e causar calafrios. E aí, você encararia?

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Chile eleito o melhor destino para turismo de aventura

chile-5

Pelo segundo ano consecutivo, o Chile foi eleito o melhor destino do mundo para turismo de aventura. O título foi entregue pelo World Travel Awards, um dos mais prestigiados eventos do setor, considerado o ‘Oscar do turismo’. Nossos vizinhos sul-americanos bateram países como Austrália, Canadá, Equador, Japão, Nova Zelândia, Sri Lanka, Tailândia e Estados Unidos. A 24ª edição do prêmio aconteceu em Phu Quoc, no Vietnã, no dia 9 de dezembro. O evento acontece anualmente e homenageia quem mais se destacou durante a temporada anterior.

chile-1

Com o passar dos anos, o Chile tem se consolidado como um dos mais atraentes e valorizados destinos do continente. O país passou de 2,8 milhões de turistas anuais em 2010 para 5,6 milhões em 2016, duplicando a estatística e com um crescimento médio por ano de 12,8%. Segundo o Ministério da Economia, Fomento e Turismo, 51% dos estrangeiros que desembarcaram no Chile em 2016 disseram estar ali pela natureza, as paisagens, a flora e a fauna chilena.

chile-2

O Lonely Planet, um conhecido guia de viagens, elegeu o país como destino imperdível para quem pretende viajar em 2018. O Chile possui o deserto mais árido do mundo, o Atacama, a Cordilheira dos Andes, o oceano Pacífico, a Patagônia chilena, os vulcões e as geleiras como principais atrações. A principal porta de entrada é a capital Santiago, que tem voos diretos saindo dos principais aeroportos do Brasil.

Fonte: Hypeness

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Diversão nas Cataratas do Niágara

Elas são um dos pontos turísticos mais visitados no mundo, fazem parte das 7 Maravilhas Naturais do Mundo e são uma das fronteiras naturais mais lindas do planeta. Dignas das malucas aventuras do Pica-Pau em seu barril, explorar as Cataratas do Niágara é um dos programas que devem fazer parte de uma visita completa a Toronto, no Canadá.

Localizadas a mais ou menos duas horas da cidade, as Cataratas do Niágara separam com suas belas e imponentes quedas d’águas dois países – de um lado a província canadense de Ontário, e do outro o estado de Nova York, nos Estados Unidos. As águas que desabam na enorme garganta são provenientes dos Grandes Lagos canadenses, e depois de correrem pelo vale, se depositam no famoso (e gigantesco) lago Ontário.

500000829-1024x686

Mas não é só pelo ângulo natural que as cataratas são interessantes. Independente da época do ano, há muita história, cultura e diversão por lá. Para começar a jornada, uma parada na Table Rock, local onde fica um centro para visitantes e de onde pode-se escolher por onde começar a visita. Entre um mirante e outro, você pode fazer a Journey Behind the Falls, que é uma caminhada pelos centenários túneis que passam por trás das quedas d’água e de onde pode-se ver toda a sua força através de janelas esculpidas na pedra. A caminhada acaba em um mirante que parece muito com aquele do desenho do Pica-Pau, pertinho das quedas, onde é impossível não se molhar um pouco. Mesmo com a capa amarela!

Por lá também é possível encarar a experiência 4D Niagara’s Fury, um simulador que conta a história evolutiva das cataratas desde a pré-história utilizando projeções, movimentos, vento e água, obviamente. Para os mais ousados, dá para apreciar a vista de formas bem peculiares. Durante o verão, uma tirolesa de 670 metros que alcança velocidade de uns 70km/h proporciona uma visão privilegiada e radical das falls. Já a Niagara Helicopters realiza passeios aéreos desde 1961 – que funcionam praticamente o ano todo – é uma opção mais cool e confortável para apreciar aquela bela vista.

500003704-1024x662

Você ainda pode fazer um passeio de barco com Maid of the Mist e chegar pertinho das quedas, apostar uns trocados no Cassino Niagara, ou ainda fazer uma visita ao Niagara Falls History Museum para saber mais sobre as histórias e curiosidades do lugar. E vale até dar um spoiler: um ser humano já foi levado pelas águas acima das quedas, desceu as cataratas sem nenhuma proteção e sobreviveu. Não, não é conto de pescador!

Fonte: Chicken or Pasta

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Passeios sofisticados ao sul do Saara

lazer_passeios_journey_beyond01

Nem todo viajante de luxo passa o verão nas ilhas gregas. Muita gente prefere desbravar roteiros pouco conhecidos e, por isso mesmo, mais exclusivos. Mirando esse público, o empresário Philip Lategan fundou a Journey Beyond, uma operadora de turismo especializada em passeios na África Subsaariana.

lazer_passeios_journey_beyond02

A operadora com sede em Johanesburgo tem os chamados travel designers. Especialistas em turismo na região, os profissionais testam os passeios, hospedam-se nos hotéis e selecionam os guias. Eles ajudam a criar os roteiros – tão personalizados que cada cliente ganha uma apostila diferente no aeroporto, explicando o seu itinerário, com mapas, dicas de restaurantes e indicações sobre gorjetas.

lazer_passeios_journey_beyond11

O carro-chefe da agência são as visitas à natureza. As atividades vão desde os tradicionais safáris fotográficos na reserva de vida selvagem do Serengeti até canoagem nas proximidades das cataratas de Victoria, no Zimbábue. Quem tem menos energia pode percorrer o rio Zambezi em um cruzeiro.

lazer_passeios_journey_beyond16

Mas não faltam roteiros inusitados. É possível conhecer, por exemplo, a cena vibrante de bares e restaurantes em Maputo, capital de Moçambique. Ou conhecer as ilhas Mnemba, também no país, com seus mares cor de turquesa. Outra opção é mergulhar entre os tubarões brancos em Cape Town, na África do Sul.

lazer_passeios_journey_beyond09

A operadora ainda cria passeios para países como Botswana, Namíbia, Zâmbia, Madagascar, Malawi, Tanzânia, Quênia e Uganda. O mundo, é bom lembrar, tem muitos países interessantes ao sul do Equador.

lazer_passeios_journey_beyond15

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Luxo para os amantes de esqui

Nenhum lugar nos Estados Unidos atrai mais esquiadores do que Vail, no Colorado. E há boas razões para isso: de seu imenso tamanho e quantidade de espaço disponível para a prática do esporte a uma escola de esqui, possibilidades de compras, restaurantes, atividades diversas e vida noturna. O local tem tudo que um esquiador ávido – ou não – poderia querer, e tudo em um mesmo lugar, sem a necessidade de carro.

Outro aspecto que faz com que Vail se destaque diante de outras estações de esqui é a hospedagem, especialmente as mais caras. Não é por acaso que a parte mais difícil do planejamento da viagem é decidir onde ficar. No entanto, nenhum outro resort dos EUA pode competir com o nível de luxo que o The Sebastian oferece.

The-Sebastian-Vail-1-1

O local faz parte da Preferred Hotels & Resorts, que opera propriedades de esqui, praia e golfe do Caribe ao Havaí. O Sebastian é uma combinação de residências e hotel que tem sido popular nos últimos anos, já que seus administradores acharam mais rentável vender os quartos e depois operá-los dividindo a receita com os proprietários. Como resultado, os hóspedes têm a opção de quartos de hotel tradicionais recentemente renovados, suítes de estilo executivo com vários quartos e suítes residenciais que oferecem de um a três dormitórios, que são basicamente apartamentos com cozinhas gourmet e, nas unidades maiores, lareiras.

Toda a propriedade tem um aspecto residencial e um alto nível de design de interiores, desde o estilo da sala de estar do lobby, com lareiras de dois lados, até a livraria e a vasta coleção de arte e esculturas que decoram o hotel interna e externamente. A variedade incomum de opções de hospedagem tornam o Sebastian adequado para todos os públicos, de casais a grandes famílias.

The-Sebastian-Vail-2

O apelo familiar é algo importante por lá, além de ser um elemento fundamental da propaganda, já que o resort oferece recursos incríveis dedicados a crianças, desde atividades supervisionadas, como artesanato, até uma alternativa de acampamento, no verão e no inverno. Uma grande sala chamada “Tykes Room” foi equipada para entreter crianças menores de 4 anos, enquanto uma sala de jogos equipada com videogames antigos e modernos, mesa de bilhar, pebolim e jogos de tabuleiro fazem a alegria da garotada. O bar Frost serve opções de chocolate quente gourmet para os pequenos. O Sebastian também oferece noites de filmes, com doces e pipoca, noites de jogos (o mini hóspede pode escolher se prefere um Xbox360 ou Playstation 3 com quatro jogos instalados no quarto) e kits para a família fazer um boneco de neve.

Para os adultos, os destaques do resort incluem uma das melhores piscinas e jacuzzis em Vail, com deck privado com piscina aquecida e cinco banheiras de hidromassagem, aliviando a lotação que as pessoas encontram até mesmo nos hotéis mais luxuosos. O Sebastian também oferece uma academia moderna e bem equipada e um spa. O Leonora, o restaurante principal, trabalha com uma combinação estranha, mas apetitosa, de pratos alpinos europeus, cozinha espanhola e especialidades das Montanhas Rochosas, com foco em ingredientes locais e orgânicos e uma impressionante seleção de vinhos.

The-Sebastian-Vail-5

O bar Frost combina a sofisticada mixologia de drinques com uma excelente coleção de scotch e uísque, lanches de alta qualidade, charcutaria e pizzas preparadas em fornos de tijolo, além de um sistema único de armazenamento de coquetéis.

Existem alguns pontos negativos no resort, sendo que o principal deles é a equipe da recepção. O check in e o check out são lentos e a atenção recebida está muito aquém dos demais hotéis de luxo na região, como Four Seasons e Arrabelle. O tempo de espera por uma xícara de café pode ser longo, e o deck da piscina, embora maravilhoso, não possui tantos funcionários quanto a maioria de seus concorrentes. Como os hotéis em Vail são um pouco afastados, tornou-se normal que eles ofereçam carros sob demanda para o transporte na cidade, mas a disponibilidade parece escassa no Sebastian.

The-Sebastian-Vail-4-1

Por outro lado, apesar de o Sebastian ser caro, ele ainda custa – quase sempre – menos do que seus pares – entre US$ 150 e US$ 200 a menos por noite. O resort ainda é uma excelente escolha para férias de esqui em Vail, especialmente para famílias, que são o ponto forte da propriedade, mas a qualidade da comida, bebidas, spa e instalações também tornam o Sebastian uma fuga romântica para os casais.

Fonte: Forbes

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Paisagem exótica no Líbano

gcom_caverna_libano_07

As cachoeiras são destinos adorados por 10 entre 10 pessoas que gostam de passar um tempo em meio à natureza. Tais fenômenos naturais fascinam o ser humano pela beleza das quedas d’água e pela propriedade de relaxamento que eles têm. Imagine, então, deparar-se com uma catarata que atravessa três cavernas de calcário antes de se juntar a um belo lago translúcido? O que pode parecer um cenário fantasioso criado por computação gráfica para filmes de Hollywood, na verdade é bem real e fica em Tannourine, no Líbano.

gcom_caverna_libano_01

A cachoeira do Cânion de Baatara forma-se na primavera, época do degelo do monte Líbano. Com o passar de milhões de anos, a ação fluvial acabou escavando tal estrutura geológica, também conhecida como Abismo das Três Pontes. A cascata de 250 m de altura deságua em um abismo de calcário de cerca de 160 milhões de anos.

gcom_caverna_libano_03

Apesar de ser um espetáculo natural difícil de resistir, é desaconselhado por guias locais que turistas caminhem sobre as pontes formadas. Além de apresentarem superfície escorregadia, o tráfego de pessoas pode acabar ocasionando a destruição das formações rochosas.

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone