Blog da HOYA | | HOYA Cash Passport Google+
 

Marrocos em tons de azul

marrocos_cidade_azul_01

Engana-se quem pensa que o Marrocos é feito apenas de tons terrosos e suas variáveis. Labirintos e ruazinhas completamente azuis fazem os visitantes da cidade de Chefchaouen, uma das mais populares cidades no país, pensarem estar mais próximos do céu. O vilarejo é conhecido pela tranquilidade, pela vista para as montanhas e pela produção de queijo de cabra, mas o que faz os visitantes ficarem de boca aberta é mesmo o conjunto de construções de cal e tinta azul no centro histórico.

marrocos_cidade_azul_09

Fundada em 1471 pelo povo berbere para barrar a expansão dos portugueses no continente africano, a fortaleza virou refúgio de judeus e mouriscos (muçulmanos batizados à força como cristãos) nos dois séculos seguintes. Foi nessa época, com a retomada espanhola, que a cidade começou a ganhar os contornos que a fazem tão peculiar hoje em dia.

marrocos_cidade_azul_07

Há quem goste de brincar que as fachadas são azuis para espantar os mosquitos. Mas a história verdadeira é outra. Os judeus começaram a pintar as casas para preservar uma antiga tradição. É que os corantes azuis, derivados de caracóis e mariscos, tingiam as vestes dos reis do Antigo Testamento. Logo, a cor azul tornou-se uma referência sagrada para a cultura religiosa.

marrocos_cidade_azul_03

 

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Adega no fundo do mar da Croácia

201503111540350_srcset-large

Aos amantes do vinho e do mar, eis aqui um passeio imperdível: na Croácia, mais especificamente na ilha Drače, uma adega submersa está aberta aos visitantes. Na Edivo Vina, os vinhos ficam armazenadas em ânforas, embaixo d’água, por um ou dois anos e, quem não estiver satisfeito em apenas prová-los, pode mergulhar para conhecer o processo de amadurecimento da bebida.

201505271153400_srcset-large

Antes de ir ao mar, o vinho passa três meses em terra firme, armazenado nos jarros de barro com duas alças e estreito no topo. Para não contaminar o líquido com água salgada, as ânforas são vedadas primeiro com cortiça e, depois, recebem duas camadas de borracha. Só então são colocadas no mar, numa estrutura de ferro trancada com cadeados. Por cerca de 700 dias, os recipientes ficam a uma temperatura de 15 a 17 graus.

edivo10040_srcset-large

Os proprietários realizam o método há cinco anos e acreditam que a refrigeração do mar e o silêncio melhoram a qualidade do vinho. Eles ainda aproveitam para vender a garrafa após a estadia aquática, coberta de conchas e corais.

edivo10290_srcset-large

Fonte: Casa Vogue

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Vinho de talha no Alentejo

Quem já fez uma visita a uma vinícola moderna sabe que hoje em dia os processos são altamente padronizados: o mosto de uva é acondicionado em enormes fermentadores de inox, onde castas específicas de leveduras são adicionadas. Depois de fermentado, o vinho normalmente estagia em barris de carvalho antes de ser engarrafado. Assim também é feito com quase todo o vinho produzido em Portugal. Entretanto, em algumas localidades do Alentejo, pequenos produtores estão redescobrindo uma técnica milenar, de vinhos fermentados naturalmente em enormes ânforas de barro – as talhas.

Essa técnica teria sido introduzida na Península Ibérica pelos romanos, e era dessa maneira que se fazia vinho na antiguidade: após a vindima, o suco das uvas é colocado nas enormes talhas (os volumes variam de 200 a 1500 litros) junto com parte do bagaço e deixados a fermentar – os frutos possuem uma levedura natural.

jose-souza

O Alentejo não é o único lugar que produz vinho por esse método, diga-se de passagem. Na Geórgia, nos Cáucasos, terra onde se descobriu os mais antigos vestígios de viticultura no mundo, com mais de 8000 anos, ainda se produz vinho em talhas de barro enterradas no solo.

Ok, você ficou curioso e decidiu experimentar o vinho de talha na sua próxima viagem à terrinha. Onde encontrá-lo? Infelizmente a missão não é fácil. A produção de vinho de talha ainda é bem pequena (alguns poucos milhares de garrafas anualmente, embora esteja aumentando) e mesmo em Lisboa é difícil botar as mãos em uma garrafa. As vezes aparece alguma coisa nos grandes supermercados ou lojas especializadas, mas sua melhor aposta ainda é ir direto a fonte, no Alentejo.

35800700181_bba06f012c_k-1024x683

Um dos destinos mais certeiros é a Adega José de Souza, em Reguengos de Monsaraz, já quase na fronteira com a Espanha, que possui 114 ânforas e recebe visitantes para enoturismo. Outras operações interessantes são a da Casa Relvas, da Cortes de Cima e até da gigante Esporão. Mas o centro do movimento está mesmo ao redor da minúscula Vila de Frades (que ganhou o título de Capital do Vinho de Talha) e as vizinhas Vila Alva, Cuba e Vidigueira. Nessa região, mais de 180 pequenos produtores se dedicam ao vinho de talha, ainda que a produção da maioria seja bem pequena.

Fonte: Chicken or Pasta

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Festival de luzes na França

festival-chartres-en-lumiere-910x607

Considerado o mais longo evento do gênero em todo o mundo, o Chartres en Lumières é um espetáculo de luzes que dura seis meses (de abril a outubro), quando 24 pontos da cidade de Chartres, a uma hora de Paris, são iluminados com a projeção de imagens em suas fachadas. Mais de 100 projetores, convencionais e de LED, iluminam igrejas, museus e ruas, durante 210 noites ininterruptas. Espalhadas pela cidade, as projeções podem ser visitadas a pé ou em um trenzinho que circula pelos pontos iluminados do evento.

O projeto cenográfico, assinado por coletivos de artistas franceses, é criado a partir de temas relacionados com o local iluminado, como a construção da igreja de Notre-Dame de Chartres, cuja projeção na fachada principal começa com homenzinhos fazendo uma espécie de rapel nas torres até darem início à montagem do monumento com blocos de pedra, em um mapeamento visual detalhista que paralisa quem assiste. Patrimônio Mundial pela Unesco e uma das maiores da França, essa catedral gótica do século 12 abriga quatro mil estátuas e 172 vitrais que ganham uma nova texturização, em uma espécie de ilustração colorida em 3D.

festival-chartres-en-lumiere2-910x609

Outro destaque do evento é a projeção no Museu de Belas Artes, assinado pela designer gráfica Leslie Epsztein, que se inspirou em mapas astrais e instrumentos astronômicos de medida do século 16 para criar os desenhos projetados.

Chartres en Lumières acontece também em locais como o teatro da cidade, o casario da rue de l’Étroit Degré e as pontes sobre o rio Eure. No entanto, o espetáculo não é apenas para ser visto e o visitante também pode fazer suas próprias criações visuais. A Galeria de Chartres, na antiga Capela de Sainte-Foy, é a versão interativa do evento, onde um tablet gigante disponibiliza 120 combinações de desenhos que podem ser escolhidos e projetados pelo próprio visitante.

festival-chartres-en-lumiere3-910x543

Chartres é uma das cidades do Vale do Loire, no centro-norte da França, destino conhecido pela maior concentração de castelos do mundo. A região abriga cerca de 300 dessas construções medievais abertas para visita, de um total de mil castelos.

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Hospede-se no cenário de ‘Sob o Sol da Toscana’

A Toscana é um desses lugares que podem fazer você querer trocar a posição de turista pela de morador. Foi isso que aconteceu com a escritora norte-americana Frances Mayes, que se deixou levar pelo impulso de comprar uma vila nos arredores de Cortona durante uma viagem pós-divórcio. O desafio de reformar uma casa de campo e se habituar ao modo de vida italiano deu origem ao livro ‘Sob o sol da Toscana’ e, mais tarde, ao filme de mesmo nome com Diane Lane.

34082533205_e6332a0c4a_k

Distante 120 quilômetros de Florença, o vilarejo de Cortona merece ser incluído no roteiro, seja pelas vistas ou pelas ruazinhas charmosas. Mas os fãs do filme também vão se divertir reconhecendo os cenários, como a Piazza della Repubbica. É ali que acontece o mercado, que Frances escreve um cartão-postal para outro viajante e também onde o coro de crianças se apresenta no Natal.

villa-laura

Boa parte das gravações, no entanto, foram feitas na Villa Laura: um casarão real, a seis minutos do centro da cidade, que serviu de locação para as cenas da protagonista em sua nova moradia. A propriedade do século 17 passou por uma bela renovação e agora pode ser alugada pelos viajantes através da Luxury Retreats, empresa que pertence ao grupo Airbnb.

tuscany_bramasole_18

A estadia mínima é de sete dias, tempo perfeito para explorar as principais atrações da Toscana em passeios de bate-e-volta, e os seus dez (!) quartos acomodam confortavelmente vinte (!) pessoas. Fora as vistas para Cortona e os bonitos olivais que a cercam, a casa possui uma cozinha moderna com ilha central, forno de pizza, adega subterrânea e mesa ao ar livre no jardim, tudo pensado para curtir ao máximo a gastronomia local. Isso sem falar da piscina e da sala de jogos.

bramasole

Mesmo sem se hospedar no casarão, ainda é possível dar uma espiadinha na Villa Bramasole (acima), a real casa onde a escritora Frances Mayes passa os verões até hoje. Por se tratar de uma propriedade privada, não é possível visitar o seu interior, mas da estrada é possível ver a fachada e os jardins. Fica a apenas cinco minutos do centro de Cortona e basta digitar ‘Villa Bramasole’ no Google Maps para achá-la.

Fonte: Viagem e Turismo

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

O melhor spa do mundo

A cerca de uma hora de Munique, após passar pela bucólica zona rural da Bavária e seus infinitos ​​campos amarelos brilhantes, está o famoso Lanserhof, um luxuoso spa médico. O espaço fica nas colinas da elegante cidade de férias alemã de Tegernsee e se tornou sinônimo de medicina integrada, saúde e cura baseada em dietas, em um ambiente 5 estrelas que define uma nova categoria de estilo de vida: a luxuosa medicina detox.

Não é segredo que a desintoxicação e o jejum são uma tendência. No entanto, o Lanserhof não é um local típico de sacrifícios. Em vez disso, é uma clínica médica integrada de serviço completo e spa, que sintetiza o bem-estar holístico em seu auge, enquanto oferece uma experiência intimista (são cerca de 70 quartos) e mima os visitantes a cada contato.

lanserhof-1-1

Isso significa que, enquanto a dieta e a desintoxicação são primordiais, no Lanserhof tem uma abordagem 360 ​​graus que inclui terapias tão variadas que incluem até banhos iônicos para os pés e terapia craniossacral. Tudo combinado com tecnologia de ponta, médicos de classe mundial e um luxuoso ambiente de hotel projetado para relaxamento total.

O método do Lanserhof é baseado nas descobertas de F.X Mayr, que considera a saúde digestiva como a base da saúde geral. Os hóspedes começam do zero, com uma dieta rigorosa com acompanhamento médico (incluindo terapia, medicinas ocidental, oriental e alternativa), tratamentos de spa, atividades físicas e relaxamento.

A instalação de mais de 20 mil m² foi projetada tendo em mente o luxo e o conforto, desde a adequação dos materiais de construção até a relação de cada quarto com a luz do dia, embora a experiência real de desintoxicação possa ser cansativa para alguns. Cafeína e álcool estão fora do cardápio, assim como açúcar, frutas e vegetais (os dois últimos porque fermentam no estômago). Wi-Fi e serviço de telefone são extremamente limitados, pois o detox digital também faz parte do processo. O jantar termina às 18h e os hóspedes já estão na cama às 20h, tudo em nome do bem-estar.

lasenhorf-2

O que separa o Lanserhof de outros spas médicos é que ele é, de fato, é uma clínica médica completa, com profissionais altamente treinados, a maioria especializada em algum tipo de abordagem naturopática. Todo tipo de tratamento está disponível, de ginecologia e odontologia à dermatologia. Alguns clientes até o usam o spa como atenção médica primária. Isso contribui para uma experiência única, pois os hóspedes podem cuidar de sua saúde e experimentar procedimentos mais relaxantes, como tratamentos faciais e wraps de algas marinhas.

Os quartos possuem estilo minimalista, mas refinado. Cada acomodação dispõe de grandes banheiras, toaletes japoneses Toto de última geração e uma varanda com vista para a bela paisagem, enquanto todos os espaços do hotel foram projetados para que os hóspedes encontrem facilmente locais tranquilos para relaxamento. Por ser também um hotel, a hospitalidade é de classe mundial.

O espaço mais maravilhoso da propriedade, no entanto, é a casa de banhos que abriga academia, salas de ioga e relaxamento, saunas e um chuveiro de sensações: uma sala com uma infinidade de duchas exclusivas, para uma experiência de banho divertida. A piscina de água salgada aquecida fica em meio a um grande gramado com vista panorâmica, o que torna a experiência de nadar particularmente especial.

Fonte: Forbes

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Cidade à beira do abismo

Trou-1

Só de chegar na cidade de Bozouls, no sul da França, você já perde o fôlego! Ela está debruçada sobre um cânion em formato de ferradura de 400 metros de diâmetro e 100 metros de profundidade, escavado com o passar dos anos graças a ação erosiva da água corrente do rio Dourdou. Empoleirada na borda da curva, Bozouls conta assim com uma fortaleza natural de proteção.

Trou-2

O cenário também é resultado da sucessão de eras de gelo que ocorreram há milhões de anos, que fez com que geleiras avançassem e recuassem, criando rios e a paisagem de hoje.

Trou-3

Fonte: Nômades Digitais

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Universal Studios ganha atração de “Velozes e Furiosos”

A nova atração no parque Universal Studios promete acelerar o coração dos visitantes. O Fast&Furious Supercharged é um simulador inspirado nos filmes da franquia ” Velozes e Furiosos “. O brinquedo simula que você está em um veículo potente em alta velocidade e te leva para uma volta radical de carro. Os cenários e a trilha sonora ajudam a fazer com que você se sinta parte desse filme de ação.

Os filmes “Velozes e Furiosos” contam com uma grandiosa bilheteria mundial, que ultrapassa US$ 5 bilhões, e a cada sequencia a franquia foi se consolidando como um fenômeno mundial. Os roteiros lotados de ação, os personagens e os cobiçados carros conquistaram o público e agora ganharam um espaço especial no Universal Studios.

c5zkrex69cb35f534wun7dcca

O simulador tem o intuito de fazer com que o visitante se sinta dentro de um dos carros do filme, em alta velocidade, recriando de forma autêntica as cenas e os veículos – como os pilotados por Dom (Vin Diesel) e Roman (Tyrese Gibson) –, tudo para enlouquecer os fãs. Durante a atração, é possível ter a sensação de que o carro está acelerando e até girando na pista, ou seja, a ação vai aumentando gradativamente e tudo é embalado por uma trilha sonora especial.

A atração possui diferentes sistemas de fila . A Stand-By é a fila normal; a Express Pass  é a fila rápida e, para usufruir essa comodidade, você precisa pagar à parte ou se hospedar em um dos resorts de luxo do Universal Orlando Resort. Já a Single Rider é uma opção própria para quem está sozinho ou não se importa de brincar em carrinhos separados dos amigos ou da família.

Também tem a opção do Virtual Line , que funciona da mesma forma que na atração “Race Through New York Starring Jimmy Fallon”. “A partir do momento em que se chega ao parque, pode-se pré-agendar o horário para entrar na atração sem fila através do aplicativo ‘ Universal Studios Florida’ ou pode retirar o ticket de retorno à atração indo aos quiosques que ficam em frente a ela” destaca Rebeca Colpaert, consultora da Rumo a Orlando.

Fonte: Ig

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Passeios e experiências na Cidade do Cabo

A Cidade do Cabo, na África do Sul, surpreende por sua beleza natural e ótimas opções gastronômicas. Para hospedar-se, o melhor hotel é o recém-inaugurado Silo, na região portuária, do mesmo dono do Saxon de Joanesburgo. Para quem gosta de arte, não perca as galerias Goodman, Stevenson, Smac e What if the World.

la_parada_del_mar

Uma ótima opção para passear é, sem dúvida de bike, ou a pé. A empresa Awol Cycling Tour é perfeita para isso e proporciona vários tours para descobrir em primeira mão o melhor que a cidade tem para oferecer. Para quem curte fortes emoções, ver a Cidade do Cabo de parapente é maravilhoso. Com o mar cintilante, a distância e apenas o som dos ventos ao redor de você, esta é uma parte da viagem que será inesquecível. Para quem preferir, um voo de helicóptero é também uma boa opção – o importante é ver a cidade de cima. Obviamente, não deixe de conhecer a Table Mountain, principal ponto turístico. Atente-se ao tempo, pois quando está nublado não compensa subir.

Visitar Robben Island, onde Nelson Mandela foi prisioneiro durante 27 anos, é um passeio cultural obrigatório. Durante um dia inteiro vale conhecer o Cabo da Boa Esperança e toda reserva natural a sua volta. Com paisagens de montanha e oceano de tirar o fôlego, o “reino floral” do Hemisfério Sul é imperdível. Não perca também o pequeno vilarejo Noordhoek Farm Village e seus arredores.

Para viver uma experiência gastronômica típica, reserve uma mesa no Gold e aprecie a culinária local em grande estilo. O Addis in Cape também é bom para sentir os cheiros e sabores africanos. No Old Biscuit Mill, um mercado que vale a visita, não deixe de reservar uma mesa no The Test Kitchen, do Chef Luke Dale Robert, também proprietário do The Pot Luck Club, que ocupa o primeiro andar do mercado – a comida é excelente.

old_biscuit_mill_mercado_1

Um pouco afastado da cidade na Constancia Valley, almoce ou jante no The Greenhouse, que mistura ingredientes locais com tendências internacionais. Sem pretensão para um almoço em clima de praia em Camps Bay, o restaurante La Parada Del Mar também é uma boa opção. Os melhores drinks em clima de festa estão no Asoka, tem um super clima e ótima comida.

asoka_bar_cocktail

Para os amantes de vinhos, é difícil escolher entre as várias regiões ao redor da cidade. O destaque vai para La Colombe. Também vale visitar a vinícola Constancia, bem próxima da cidade, que oferece bons vinhos e ótimas tábuas de degustação. Situado nos arredores de Stellenbosch, a Lanzerac Estate é uma antiga propriedade que oferece vários tipos de degustações para a alegria do nosso paladar. Já o restaurante Ouverture é localizado na magnífica Hidden Valley Wine Estate e comandado pelo chef Bertus Basson, que serve uma cozinha contemporânea com vinhos próprios. Por fim, com sua localização pitoresca, La Motte é um destino encantador para aqueles que apreciam as coisas boas da vida.

la_colombe

Fonte: Casa Vogue

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Acampamento de luxo

Passar suas férias em um contêiner no meio de bosque, afastado completamente da cidade, pode parecer uma escolha estranha a princípio, mas basta olhar para a cabine de contêineres em Catskills, nos Estados Unidos, para se apaixonar por essa ideia de fuga. Equipada com comodidades modernas e revestida em madeira, esta cabine aconchegante e eficiente oferece conforto, charme e uma atmosfera tranquila.

Catskill

Os contêiners estão disponível para aluguel de temporadas no Airbnb. Os valores são salgados, mas os hóspedes parecem muito satisfeitos com a proposta e fazem questão de deixar boas avaliações no site. A diária fica em torno de R$745 e o lugar pode receber até duas pessoas.

Catskill-2

A casa de contêiner particular tem todas as comodidades de uma hospedagem moderna: um fogão a lenha, sofá-cama, cozinha compacta, mesa de trabalho, toca-discos, varanda térrea, estrutura para fogueira, plataforma de ioga, banheira de hidromassagem e rede. Além disso, o lugar se integra à natureza até por não estar conectado à rede elétrica. A energia é solar e o vaso sanitário funciona em esquema de compostagem. Não tem geladeira, mas tem gelo. O proprietário vive a duas horas de distância e um zelador está por perto para ajudar se você precisar.

Catskill-3

Viver em um contêiner de 6 metros quadrados pode ser melhor do que parece. Segundo o anúncio, “É como acampar, só que você está envolto em paredes isoladas de alta eficiência e portas de vidro deslizantes; além de dormir em um sofá-cama confortável”.

catskills-container-cabin-9

Para os amantes da natureza, ainda tem um bônus: uma cachoeira de nove metros de altura fica a 100 metros da cabine. O bosque fica duas horas ao norte da cidade de Nova York e a partir de lá é possível chegar às cidades de Saugerties, Woodstock, Kingston, Catskill e do rio Hudson em caminhadas de 15 minutos.

Fonte: Hypeness

 

Gostou? Então compartilhe!Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone